• Carlos Rio

Pardais para o jantar!

Duas crias de Bufo-pequeno (Asio otus), já numa fase de abandono do ninho e durante o período de treino para o voo, iam saltando de árvore em árvore, de galho em galho, perto uma da outra, numa zona de Apúlia (dentro do Parque Natural do Litoral Norte), foram descobertas pelo meu amigo também fotógrafo, Fernando Lopes.

Foi-se acompanhando estas crias e registando a sua evolução. Alimentavam-se quase sempre de micro mamíferos mas a partir de determinada altura os progenitores começaram a trazer só pequenas aves, na sua maioria Pardais! Com certeza descobriram o dormitório das aves e era um "a ver se te avias"... eram muitas as aves caçadas por noite para alimentar as crias. Optamos por nunca fotografar a entrega do alimento para não perturbar as aves e para que este processo fosse calmo e normal para elas. As fotos que se seguem foram feitas à mesma cria (a outra, nesta noite, estava numa árvore ao lado), mas em poleiros diferentes da mesma árvore. Enquanto esperava pelo snack seguinte ia mudando de galho!


Aqui está "com cara" de quem está cheio de fome e não percebe porque ainda não chegou o primeiro prato da noite!


O melhor mesmo é fazer barulho e reclamar pela demora e, como qualquer bebé com fome, não quer saber quais as causas do atraso!


Assim está melhor! Um dos progenitores chegou com o primeiro Pardal! Parece que primeiro cheira o pássaro e que estuda por que parte vai começar a degustação...

Bem... Mal passado está! E o ar que mostra é o de quem quer lá saber de modos para comer! O Pardal, esse.... Perdeu a cabeça!


O melhor é mesmo engolir tudo de uma vez já que com o irmão nas proximidades o mais certo é ainda ter que dividir o repasto! Depois de ter "marchado" a cabeça vai o resto de uma vez, nem que as pernas do Pardal fiquem a fazer de antenas por uns instantes!


Depois é isto... Esta expressão de satisfação, quase maléfica, por ter acabado de comer um Pardalito! Agora com a barriguinha mais aconchegada resta aguardar por mais uns Pardais durante o que resta da noite.



Mais de uma dúzia de Pardais por noite para as duas crias... Grande trabalho dos progenitores durante umas semanas. Enquanto dormimos, lá fora, nos campos, na floresta, o mundo selvagem vive e luta pela vida. Fantástica natureza!